Busca no site:

Passeio Piclístico

PasseioCiclistico18_E-mailmkt_20171220-01

Carência Reduzida

cartaz-carencia-reduzida-unimed-ceara-2

Cartão Virtual

Site_CartazWeb_CartãoVirtual_20171204-01

UNIMEDCE_PasseioCiclístico_CartazWebPasseioCiclisticoOutubroRosa_20170912

Cuidados durante a amamentação

breastfeeding• Durante o período de amamentação as mulheres devem ingerir mais líquidos

Beba água sempre que sentir sede, quando tiver a sensação de boca seca e quando perceber que sua urina está com coloração mais escura que o habitual (urina concentrada indica que o organismo pode estar necessitando de mais líquidos). Mantenha sempre perto de você uma garrafa pequena de água mineral.

• Mulheres que amamentam também precisam comer mais

As necessidades alimentares variam com o peso, altura, idade e intensidade de atividade física que fazemos. Durante o período de amamentação, a atividade metabólica da mulher aumenta com a produção do leite e com os cuidados contínuos com o seu filho, por essa razão, precisa ingerir mais calorias e nutrientes diariamente.

• Sobre suplementação de vitaminas e outros nutrientes

A recomendação é conversar com o seu médico a respeito disso. Algumas mulheres necessitam de suplementação de ferro para a prevenção de anemia. Quando, por exemplo, a alimentação inclui produtos à base de leite, carne, frango e peixe, normalmente, não há necessidade de suplementos vitamínicos, caso contrário, a suplementação de vitamina B12 pode ser indicada. A vitamina D favorece a absorção intestinal do cálcio contido nos alimentos que ingerimos. São alimentos ricos em vitamina D: as carnes, frutos do mar, salmão, sardinha e mariscos, além de ovo, leite, fígado, queijos e cogumelos.

• A ser evitado…

Álcool. Cerca de duas horas após a mãe tomar uma bebida alcoólica, a criança amamentada já pode estar sentindo seus efeitos. Assim, de modo geral, bebidas alcoólicas devem ser evitadas pela mãe durante o período em que estiver amamentando. Doses ocasionais, que não ultrapassem em conteúdo alcoólico ao correspondente a um cálice de vinho por dia, poderiam ser ingeridas, mas sempre pelo menos duas horas antes da mamada.

Drogas ilegais: Nenhuma!

Cafeína: Parte da cafeína ingerida pela mãe, passa pelo leite materno para a criança. As reações provocadas habitualmente, irritabilidade e dificuldade para dormir, podem se manifestar. Embora recomende-se que a ingestão de bebidas contendo cafeína (café, alguns tipos de chás, refrigerantes a base de coca) não ultrapasse o equivalente a três xícaras pequenas de café por dia. Caso a mãe perceba que seu filho apresenta os sinais descritos anteriormente, o indicado é não ingerir mais cafeína ou reduzir mais ainda a ingestão dela.

Cigarro: Aqui a resposta é categórica, não! Nem a mãe, que já deveria ter parado de fumar quando pensou em engravidar, nem familiares ou contatos diretos da criança (o pai por exemplo) devem fumar próximo a ela. Se para a criança os malefícios do tabaco estão principalmente voltados aos problemas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, infecções de ouvido), para a mãe, os efeitos incluem diminuição na produção do leite.

Medicamentos: Para esse tema a resposta é consulte seu médico. Existem medicações que são seguras durante o período de amamentação e outras não ou nem tanto. Algumas delas podem reduzir a produção de leite, como os hormônios presentes em pílulas anticoncepcionais e outros podem causar reações indesejáveis para a criança. Portanto, é importante que seu médico faça o balanço adequado sobre benefícios e possíveis efeitos indesejáveis.

Fonte: Unimed do Brasil/Viver Bem.

Quatro estratégias eficazes de aprendizagem

aprendizagemQuando você identifica tópicos importantes em um material que está lendo e quer deixar isso sinalizado, como costuma fazer? Ou, então, quando quer destacar algumas palavras dentro de um texto, de que forma faz isso? Geralmente as pessoas utilizam marcadores coloridos para fazer esta diferenciação e deixar frases e palavras em evidência.

Segundo a Escola de Medicina de Harvard (Harvard Medical School), mesmo que a estratégia de destacar informações seja uma prática comum para ajudar a lembrar de informações consideradas peças-chave, ela pode não ser tão eficaz.

Então, o que a pessoa que está estudando pode fazer? O livro Make It Stick: The sciense of sucessful learning (Faça pegar – A ciência da aprendizagem bem-sucedida, em tradução livre), publicado pela Editora Harvard University Press, indica várias estratégias de estudo que podem ajudar de forma mais enérgica, entre elas estão:

Questione-se durante a leitura. Isso ajudará a processar a informação que foi lida. Exemplo: “Quais foram os principais temas que eu acabei de ler?” e “Como esses novos fatos se relacionam com fatos que eu já conheço?”.

Faça testes com frequência. Utilize cartões para escrever tópicos importantes da leitura que acabou de ser feita. Coloque perguntas de um lado do cartão e respostas do outro. Periodicamente, faça estas perguntas para você mesmo. Isso ajudará a relembrar o assunto e permitirá identificar as áreas que você ainda não está seguro sobre as respostas.

Aumente o espaço de tempo entre um teste e outro. À medida que você ganha domínio sobre cada tópico de estudo, aguarde um período de tempo maior para utilizar a técnica dos cartões novamente. Exemplo: comece com testes diários e, conforme o assunto for ficando mais claro na sua mente, passe a aplicar o teste uma vez por semana.

Mude a ordem das perguntas. Exemplo: se você está estudando assuntos de direito administrativo, não basta estudar os capítulos em ordem, misture as perguntas de diferentes capítulos. O fato de intercalar ou alternar tópicos contribui para melhorar a capacidade de lembrar e fixar as informações.

Fonte: Unimed do Brasil/Viver Bem.

Preparação para a educação infantil

No Brasil, segundo o Ministério da Educação, a educação infantil (para crianças com até cinco anos de idade) é dividida em duas fases: creche, que tem como foco de ensino a interação e a brincadeira; e pré-escola, com foco no desenvolvimento da personalidade, linguagem e inclusão social da criança. Estas duas fases marcam o início da vida escolar e educação formal de uma criança.

As primeiras experiências escolares de uma criança podem influenciar na maneira como ela se relacionará com as pessoas e com o mundo ao longo dos próximos anos. Conforme informações da Mayo Clinic, organização que é referência mundial em pesquisas e práticas clínicas, o ‘sucesso’ ou o ‘fracasso’ nesta fase podem afetar o bem-estar, a autoestima e a motivação de uma criança.

Aplicando algumas atitudes positivas, os pais podem contribuir para que os filhos vivenciem boas experiências. Leia abaixo:

Preze pela saúde da criança. Certifique-se de que seu filho ingere alimentos saudáveis, dorme tempo suficiente, tem ido a consultas pediátricas de rotina e recebeu todas as vacinas indicadas para sua idade.

Desenvolva rotinas. Escolha horários regulares para o seu filho comer, brincar e dormir. Aplique esta orientação diariamente, pois ajudará a criança a entrar no ritmo da creche ou pré-escola.

Incentive o desenvolvimento de habilidades básicas. De forma lúdica, ajude seu filho a reconhecer letras, números, cores e formas.

Leia. Faça com que a leitura seja uma atividade familiar de rotina. Os pré-escolares costumam apreciar livros de rimas e com ensinamentos sobre o alfabeto.

Exponha seu filho a experiências de aprendizagem. Procure oportunidades para ampliar os horizontes da criança, leve ao museu, inscreva em programas comunitários de arte e ciência.

Incentive a socialização. Matricule a criança em esportes de grupo, organize passeios com os amigos, incentive seu filho a compartilhar as suas experiências e expressar seus sentimentos.

Fale sobre o ambiente escolar. Crie emoção e diminua a ansiedade explicando como pode ser a rotina na escola e os pontos positivos – fazer novos amigos, participar de brincadeiras e atividades divertidas, aprender novos assuntos.

Fonte: Unimed do Brasil/Viver Bem.

Unimed Ceará é eleita pelo GPTW uma das melhores empresas para trabalhar no País

GPTW Brasil 2017A Unimed Ceará foi eleita pelo Instituto Great Place To Work (GPTW Brasil 2017) uma das 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil. A premiação foi realizada em 14 de agosto, em São Paulo, em parceria com a Revista Época. No total, disputaram 1963 empresas de todo o País, divididas em três categorias: Grande, Média Multinacional e Média Nacional. A Unimed Ceará foi eleita na categoria Média Nacional, a única do Sistema Unimed.

“Com este prêmio, conquistamos o nosso 13º título no GPTW. A Unimed Ceará está sempre focada em promover políticas de valorização dos colaboradores e em aprimorar a qualidade do ambiente de trabalho”, comemora o presidente da Unimed Ceará, Dr. Darival Bringel de Olinda.

Para a coordenadora de Gestão de Pessoas, Débora Barros, entrar para o ranking das melhores empresas para se trabalhar no Brasil pela terceira vez é motivo de muita satisfação. “A premiação indica que estamos no caminho certo para a promoção da qualidade de vida dos nossos colaboradores, tornando a Unimed Ceará um excelente lugar para trabalhar”, explica.

Avaliação do GPTW
As empresas foram avaliadas em suas práticas de trabalho para tornar o ambiente integrado, interativo e produtivo. Chefes que trabalham próximos de seus funcionários e benefícios como bolsas de estudo foram citados entre os vencedores. Também houve espaço para destacar aspectos de cultura interna.

Entre os motivos que levaram a empresa a conquistar a premiação está o investimento em seu público interno. A empresa se preocupa em oferecer capacitações, cursos, área de convivência, atividades lúdicas, além de benefícios salariais, reconhecimento e conforto em suas instalações. Como reflexo dessas ações, a empresa possui baixo turnover no seu quadro funcional. Além disso, a Unimed Ceará tem como diferenciais o Programa de Auxílio Educação (PAE), o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e Participação nos Resultados da Empresa.

Os 13 títulos já conquistados no GPTW são: GPTW Ceará (2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), GPTW Brasil (2014, 2016 e 2017), GPTW Saúde (2013, 2014, 2015 e 2016) e GPTW América Latina 2015.

Sete atividades para o Dia dos Pais

Happy Young Father is Playing with his newborn baby girl at home, and kissing noses together.  Vintage style color filter.

Happy Young Father is Playing with his newborn baby girl at home, and kissing noses together. Vintage style color filter.

Há quem não abra mão de programar algo diferente para comemorar o Dia dos Pais, mas têm vezes que não aparecem ideias sobre o que fazer na data. Para te inspirar, escolhemos sete programas significativos que podem ser feitos tanto entre pai/filha quanto pai/filho. Eles também ajudam a fortalecer ainda mais o vínculo paterno.

1) Programar um passeio
Pesquise sobre alguma cidade próxima para ir. Veja pontos turísticos ou locais que as pessoas costumam visitar. Geralmente toda cidade tem um restaurante, uma confeitaria, um lugar bonito que é referência e atrai visitantes.

2) Andar de kart
Outra forma de sair da rotina é programar algo que envolva aventura. Procure uma pista de kart na cidade e agende um horário de corrida. Geralmente, é preciso ter um número de mínimo de corredores, então convide mais pessoas para participar da diversão em família.

3) Jogar paintball
Promova uma batalha amigável das gerações. Jogar paintball costuma ser bastante divertido, ajuda a liberar energia e foge do habitual. Informe-se sobre os locais próximos que oferecem este programa.

4) Preparar um almoço especial
Que tal colocar a ‘mão na massa’ e preparar uma refeição especial para o Dia dos Pais? Procure lembrar qual prato ele costuma dizer que gosta muito, encontre uma receita na internet e repita todos os procedimentos em casa.

5) Fazer uma caminhada/trilha
O prazer de fazer algo ao ar livre é imenso. Encontre uma caminhada local ou uma trilha que a família inteira possa desfrutar. Se as crianças são novinhas, procure informar-se sobre o nível de dificuldade das trilhas para certificar-se de que são adequadas também para os pequenos.

6) Passear de bicicleta
Passar uma parte do dia desbravando a cidade sobre duas rodas pode ser muito divertido, além de ser uma programação saudável para a família. Pesquise os locais onde é tranquilo passear com bicicleta e lembre-se de separar água e algum lanche para o passeio.

7) Cuidados com o corpo e mente
Se a sua grande dúvida é encontrar algo para presentear, que tal pensar em algo que possa proporcionar bem-estar? Marque algo como uma massagem relaxante, corte de cabelo em um local diferenciado ou um horário com barbeador profissional.

Fonte: Unimed do Brasil/Viver Bem.

10 fatores desencadeadores de enxaqueca

enxaquecaQuem tem enxaqueca ou conhece alguém que sofra com isso, sabe o quanto as crises podem ser incômodas e, muitas vezes, insuportáveis. A enxaqueca é caracterizada como uma doença neurológica crônica, incapacitante. Alguns sintomas mais clássicos da enxaqueca antecedem ou acompanham as crises, entre eles estão:

• dor latejante, de um lado da cabeça (pode ser dos dois), de intensidade moderada a forte
• incômodo com a luz e o barulho
• enjoos
• alterações na visão, como pontos luminosos, escuros, linhas em zig zag

Observação: a pessoa com enxaqueca pode apresentar apenas alguns dos sintomas, em graus variados.

Crise de enxaqueca: orientações do Ministério da Saúde sobre o que fazer:

• Procurar ajuda médica
• Ingerir a medicação recomendada, seguindo criteriosamente as orientações de uso
• Em caso de dor intensa, ir a um local fresco e escuro para recostar, evitando deitar
• Colocar gelo sobre as áreas doloridas
• Ingerir muita água e comer moderadamente
• Repousar

Diagnóstico e tratamento
A enxaqueca é diagnosticada clinicamente, algumas particularidades permitem distingui-la de outras formas de cefaleia (dor de cabeça). Conforme a Sociedade Brasileira de Cefaleia, “a enxaqueca tem tratamento e os pacientes se beneficiam muito com ele, embora, na maioria das vezes não seja possível evitar completamente as crises”. Segundo o Ministério da Saúde, evitar os fatores desencadeantes pode ser útil para a redução das crises.

Confira abaixo os principais desencadeantes das crises de enxaqueca identificadas pela Sociedade Brasileira de Cefaleia:

10 fatores desencadeadores de enxaqueca:

1. Preocupações excessivas, ansiedade, tensão, estresse.
2. Irritação, altos e baixos no humor, impaciência.
3. Ficar sem comer por longo período. O ideal é alimentar-se a cada três horas.
4. Dormir pouco, dormir muito ou dormir mal.
5. Período menstrual, pré-menstrual, irregularidades menstruais, endometriose, ovários policísticos e reposição hormonal.
6. Ingerir em excesso café e bebidas cafeinadas.
7. Falta de exercícios físicos.
8. Uso excessivo de analgésicos.
9. Ingerir alimentos gordurosos, condimentados ou com grande quantidade do aditivo alimentar glutamato monossódico (presente em salgadinhos industrializados, molhos e caldos prontos, comida industrializada congelada).
10. Fatores genéticos.

Fonte: Unimed do Brasil/Viver Bem.

Logo ANS
Unimed Ceará - Rua Padre Luiz Figueira, 52
CEP 60150-120 - Aldeota - Fortaleza - Ceará
Fone: (85) 3453-7777 FAX: (85) 3252-3723